Qual é o potencial de destruição da Bomba H, que a Coreia do Norte diz ter desenvolvido?

AP Direito de imagem AP
Image caption Kin Jong-un disse que Coreia do Norte desenvolveu a temida Bomba H

Nem todo mundo acredita nos anúncios do líder da Coreia do Norte, mas é fato que muitos ficaram preocupados quando Kim Jong-un afirmou que seu país estava pronto para detonar uma bomba atômica e uma bomba de hidrogênio.

A razão é simples: a bomba de hidrogênio, mais conhecida como Bomba H, é a arma mais poderosa existente no planeta, como contou à BBC Mundo, serviço em espanhol da BBC, o cientista Matthias Grosse Perdekamp, que dá aulas sobre o controle de armamentos nucleares da Universidade de Illinois, nos EUA.

Até hoje, nenhuma explosão superou a potência da "Bomba-Czar", uma bomba de hidrogênio de 50 megatons (o equivalente a 50 milhões de toneladas de dinamite) detonada durante um teste do governo soviético em outubro de 1961.

Leia também: Racismo ostentação? Como operam os grupos que incitam ódio na internet

Essa bomba, por sinal, era 3 mil vezes mais poderosa que a lançada sobre Hiroshima em agosto de 1945, naquela que foi a primeira vez que uma arma nuclear foi usada em situação de conflito.

A "Little Boy" "(Pequeno Garoto", em tradução literal), como foi batizada a bomba que devastou a cidade japonesa, foi feita a partir de urânio em um processo de fissão nuclear, no qual átomos são "partidos" e liberam incrível quantidade de energia. Os limites são de 50 kilotons, ou meio milhão de toneladas de dinamite.

Siga a BBC Brasil no Twitter e no Facebook

Direito de imagem Getty
Image caption Bomba tem potencial de destruição equivalente ao de dezenas de milhões de t de dinamite

As bombas de hidrogênio, porém, são fabricadas por meio da fusão nuclear, processo em que diversos átomos se juntam antes de explodir.

"A potência que pode ser alcançada com a fusão nuclear basicamente não tem limites", conta Perdekamp.

O especialista, porém, explica que esse processo é extremamente complexo e, por isso, duvida que os norte-coreanos tenham desenvolvido uma Bomba H. Especialmente, diz, porque antes disso eles deveriam também controlar o procedimento de fissão.

"Basicamente, cada bomba de fusão inclui também uma pequena bomba de fissão", explica o físico.

Leia também: Brasil testa duas 'armas' contra o Aedes aegypti; saiba quando teremos resultado

Direito de imagem EPA
Image caption Testes balísticos da Coreia do Norte provocaram tensões

A primeira explosão nuclear se encarrega de gerar a elevadíssima temperatura necessária para que os isótopos de hidrogênio se fundam, o que explica porque a Bomba H também é chamada de termonuclear.

A potência final é determinada pelo volume de hidrogênio, mais precisamente seus dois isótopos radioativos, o deutério e o trítio.

"A energia nuclear liberada na fusão tem a mesma origem que a energia que sustenta a vida na Terra: o Sol", explica Perdekamp.

No caso da bomba de hidrogênio, porém, o objetivo é apenas a destruição.

Notícias relacionadas