As proibições curiosas e polêmicas em debate pelo mundo

Foto: AP
Image caption Rússia proíbe comércio de calcinhas produzidas com menos de 6% de algodão

Cerca de 400 mil pessoas assinaram uma petição para que o candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos , Donald Trump, seja impedido de entrar na Grã-Bretanha, por conta de suas declarações polêmicas e de cunho xenófobo. Isso forçará o Parlamento britânico a avaliar a adoção da medida.

A BBC levantou outras proibições interessantes e curiosas que vigoram ou estão em debate ao redor do mundo:

Proibição às lingeries de poliéster na Rússia

No verão passado no hemisfério Norte, as lingeries sintéticas foram proibidas na Rússia, em Belarus e no Cazaquistão, por conta de novas regras de comércio.

Uma mulher no Cazaquistão foi presa por protestar pelo direito de usar calcinhas de renda. Ela gritava: "Por que vocês têm medo de calcinhas? Liberdade para as calcinhas!"

Leia também: O que já se sabe sobre o impacto da lama de Mariana?

A proibição impede a importação, produção ou venda de roupas de baixo que tenham menos de 6% de algodão em sua confecção.

Mas as mulheres podem comprá-las em viagens ao exterior.

Cannes: Salto alto no tapete vermelho

Em maio de 2015, o Festival de Cinema de Cannes foi criticado após informações de que mulheres foram impedidas de passar pelo famoso "tapete vermelho" por que estavam usando sapatos de salto baixo.

Image caption Mulheres só poderiam desfilar pelo tapete vermelho do Festival de Cannes usando salto alto

Essas mulheres iriam participar do lançamento do filme Carol, estrelado pela atriz Cate Blanchett. Muitas delas eram idosas e não podiam usar salto alto devido a restrições médicas.

O site especializado Screen Daily disse que o festival confirmou que o salto alto no tapete vermelho era obrigatório.

Mas o diretor do festival disse que os "rumores" eram "infundados".

A levedura foi banida em Papua-Nova Guiné?

Vem sendo noticiado que um chefe de polícia em Papua-Nova Guiné está solicitando a proibição na venda de levedura, em uma tentativa de combater crimes relacionados ao álcool.

A levedura é um ingrediente essencial na produção de bebidas alcoólicas. Ela é usada na região para o preparo de uma bebida caseira e ilegal, conhecida como "suco da floresta". O Site Post Courier afirma que há hipóteses de que o consumo dela esteja relacionado ao aumento das taxas de criminalidade.

O comandante da polícia na província do norte, Lincoln Gerari, está pedidno à Câmera de Comércio que proíba a venda do produto em supermercados e lojas, em parte porque as pessoas estariam se machucando muito em decorrência do consumo da bebida.

"Já tivemos casos suficientes de visitar o hospital e prender pessoas que estavam de posse de bebida caseira".

Leia também: Confira 10 museus atingidos por incêndios no mundo

Fotografias na Casa Branca

Um dos mais conhecidos pontos turísticos dos Estados Unidos, a Casa Branca não permitia fotografias até pouco tempo atrás. Mas a residência oficial do Presidente dos Estados Unidos suspendeu a proibição de fotos, que vigorava por décadas, e agora turistas do mundo inteiro poderão tirar suas tão apreciadas "selfies" em frente ao local.

A regra foi literalmente "rasgada" em julho deste ano pela primeira dama Michelle Obama.

Image caption Convidado da Casa Branca tira fotografia selfie perto do presidente americano Barack Obama

Visitantes podem agora usar smartphones ou câmeras pequenas em passeios guiados nesse símbolo de Washington.

Michelle publicou um vídeo na internet anunciando o fim da norma. "Se você já esteve em um passeio na Casa Branca, você já deve ter visto esta placa", afirmou a primeira-dama no vídeo, enquanto segurava um cartaz onde era possível ler: "Fotos e mídias sociais não são permitidas. Apreciamos sua cooperação".

"Bem, não mais", diz Michelle antes de rasgar o cartaz.

Carros pretos proibidos no Turcomenistão

Autoridades alfandegárias do Turcomenistão teriam se recusado a autorizar a importação de carros pretos no início deste ano, segundo o site chrono-tm.org, que faz oposição ao governo.

As autoridades não teriam dado um motivo para a medida, mas estariam orientando importadores a comprar carros brancos – porque essa é considerada uma cor de sorte.

O presidente Gurbanguly Berdimuhamedov começou a usar um comboio de limusines para se dirigir a eventos públicos. A tendência foi prontamente seguida por cerca de 160 autoridades e pessoas influentes, como os donos de veículos de mídia do país, segundo noticiou a agência de notícias russa RIA Novosti, em setembro de 2014.

China: proibição a celebridades

A organização estatal chinesa que fiscaliza a mídia afirmou no ano passado que estrelas que tenham usado drogas ou contratado prostitutas seriam banidos da TV estatal e de outros veículos de mídia.

A proibição visa manter a indústria da mídia saudável, segundo o jornal China Daily.

Image caption Governo chines ameaça banir celebridades que usem drogas ou visitem prostitutas

A Administração Estatal de Imprensa, Publicações, Rádio, Filmes e Televisão disse que casos recentes criaram um mau exemplo para a juventude do país.

Uma série de celebridades, incluindo o filho do ator Jackie Chan, foram presas em casos relacionados a entorpecentes no último ano.

O governo chinês disse que celebridades que quebrarem a lei não serão mais convidadas a participar de programas e seu trabalho não será mais televisionado.

Gírias no Parlamento de Gana

No ano passado o Parlamento de Gana proibiu o uso de uma gíria popular em suas sessões. Oficialmente, a palavra teria prejudicado alguns procedimentos.

A palavra "Tweaa" serve para expressar desaprovação e foi usada repetidas vezes durante debates entre parlamentares, o que fez o presidente do órgão banir o seu uso, segundo o site Modern Ghana.

Leia também: 'Stonehenge da Amazônia', o observatório astrológico erguido há mais de mil anos na floresta

Mas críticos afirmam que a proibição entrou em vigor apenas para impedir que políticos citassem "tweaa" para o presidente John Maham em um discurso à nação .

A palavra se tornou popular no país por causa de um vídeo que se tornou viral na internet. Nele, uma autoridade fica nervosa e grita: "Quem disse 'tweaa'?" no meio de seu discurso em frente a um hospital.

Propaganda do chocolate Mars na Escócia

Image caption Propaganda de barra de chocolate frita é banida na Escócia

Neste verão, um restaurante escocês recebeu uma ordem para remover uma faixa pela qual se autoproclamava o local de nascimento da barra de chocolate frita, Mars.

O Carron Fish Bar, de Stonehaven, Escócia, atrai turistas de todo o mundo que querem experimentar a receita.

Mas o conselho do condado de Aberdeen pediu para que a faixa fosse retirada "para o bem da comunidade".

A barra de chocolate Mars frita se tornou sinônimo de aspectos negativos da dieta escocesa.

Em 2004, a reputação desse lanche cruzou o Atlântico e foi mencionada na TV americana.