Deslizamento na China: As pessoas que escaparam por apenas 10 minutos

Direito de imagem Reuters
Image caption Sobreviventes estão sendo levados para abrigos improvisados, incluindo esse ginásio em Shenzhen

Mais de 80 pessoas continuam desaparecidas após o deslizamento que atingiu 33 edifícios na cidade de Shenzhen, no sul da China. Outras 900 foram retiradas do local, e os sobreviventes contaram suas histórias para a mídia local.

Veja algumas delas aqui:

Os patrões que salvaram as vidas de 115 trabalhadores

Dono de uma fábrica na região, Huang Yongqing estava no centro de Shenzhen no domingo de manhã quando recebeu uma ligação que causou pânico.

Era de um gerente descrevendo os intensos tremores no local. "No momento que eu recebi a ligação, tudo o que pude dizer foi: 'Evacuem todos os lugares!'", ele disse ao jornal Jingbao.

Dez minutos depois, uma imensa onda de terra do deslizamento chegou à fábrica de tecnologia de Huang, quebrando algumas das paredes e invadindo o local.

Felizmente, a essa altura, todos os 115 empregados que estavam ali já tinham fugido.

Siga a BBC Brasil no Facebook e no Twitter

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Leia também: Lama de parque industrial soterra prédios na China; equipes buscam desaparecidos

A gerente administrativa Yan Limin liderou o processo de retirada dos funcionários, organizando a saída deles e fazendo a contagem de todos até que eles ficassem em segurança.

Ela disse a outro jornal local: "O prédio começou a tremer muito. Achamos que era um terremoto."

Direito de imagem Chiina Photo Press Getty
Image caption 'Maré interminável de terra' tomou conta da região

'Uma maré interminável de terra'

O trabalhador Xia Shaohua, de 50 anos, estava indo para o seu dormitório, onde sua família vivia, quando ouviu ruídos muito altos semelhantes a "carros arrancando", segundo relatou à rede Beijing News.

Ele percebeu que o solo do pico de uma colina estava começando a cair a algumas centenas de metros de distância e podia ver uma nuvem de poeira cinza vindo dali, "como a fumaça que sai de uma chaminé".

Xia, que costumava viver em uma região montanhosa, sentiu que algo estava errado e imediatamente ligou para seu filho, para dizer: "Vai acontecer um deslizamento. Corra daí rápido!"

Ele disse que nesse momento a lama já estava caindo e era como uma maré interminável de terra, "como as águas do Rio Amarelo".

Alguns minutos depois, o deslizamento aconteceu, com nuvens de terra tomando conta do ar enterrando os prédios que estavam ali.

Mas a ligação que Xia fez salvou sua família, incluindo o filho, a nora e o neto.

Leia também: Como driblar o consumismo infantil excessivo no Natal?

Direito de imagem Getty Images
Image caption Busca por sobreviventes do desastre continua

O homem que buscava por 16 familiares e amigos

Outro sobrevivente que não teve tanta sorte foi He Weiming, que trabalhava em uma empresa de reciclagem de lixo.

O homem de 36 anos e seu irmão mais novo buscam seus parentes desaparecidos, incluindo seus pais, esposas e filhos, a irmã menor e outros cinco amigos.

Mais cedo, no domingo, os dois irmãos haviam saído da casa onde moravam – que ficava a mais ou menos 1km de distância de onde houve o deslizamento –, e foi isso que os salvou.

"Nós fomos coletar lixo às 7h40 e tudo estava normal em casa. Quando voltamos, às 11h40, nossa casa estava enterrada embaixo de um monte de lama. Era uma estrutura de metal de quatro metros, mas nós não podíamos sequer ver o telhado", disse He ao jornal Global Times.

"Já fiz mais de 40 ligações, mas não consegui falar com ninguém. No início, era porque ninguém atendia. Agora é porque os celulares parecem estar desligados", finalizou.

Leia mais: Por que o mosquito Aedes aegypti transmite tantas doenças?