Itália cobre nus de estátuas clássicas para visita de presidente do Irã

Direito de imagem AP
Image caption Caixas de compensado esconderam as estátuas de nus em museu de Roma

A hospitalidade italiana para a visita do presidente do Irã, Hassan Rouhani, incluiu até a cobertura de estátuas de nus.

Rouhani e o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, se encontraram no museu Capitolino, em Roma, após assinatura de acordos comerciais entre os países.

Mas vários nus expostos no museu foram escondidos para evitar ofender o mandatário iraniano.

A Itália também optou por não servir vinho nas refeições oficiais, um gesto que a França - próximo destino de Rouhani - se recusa a seguir.

Como uma república islâmica, o Irã tem leis severas sobre o consumo de álcool.

Rouhani está em um giro de cinco dias pela Europa, buscando reforçar as relações econômicas após o acordo nuclear que motivou a revogação de sanções em vigor há anos contra o Irã.

Direito de imagem Museu Capitolino
Image caption Entre acervo do Museu Capitolino, estão estátuas como estas
Direito de imagem EPA
Image caption Hassan Rouhani concedeu entrevista com o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, ao lado de estátua do imperador romano Marco Aurélio

"O Irã é o país mais seguro e estável de toda a região", disse o presidente iraniano a empresários italianos.

O presidente também destacou que o crescimento econômico é chave no combate ao extremismo. "Desemprego cria soldados para terroristas", afirmou.

Contatos comerciais

Na segunda-feira, o Irã fechou contratos avaliados em 17 bilhões de euros (R$ 70 bilhões) com firmas italianas.

Na terça-feira, Rouhani também se encontrou com o papa Francisco. Segundo o Vaticano, o pontífice pediu ação conjunta entre o Irã e países do Oriente Médio contra terrorismo e o tráfico de armas.

O Irã tem sido acusado de financiar grupos de militantes islâmicos, como o Hezbollah no Líbano.

Rouhani pediu ao papa que rezasse por ele, e presenteou o pontífice com um tapete artesanal.

O presidente iraniano viaja a Paris nesta quarta-feira, quando mais acordos comerciais deverão ser anunciados. O país deve fechar um contrato com a fabricante europeia Airbus para a compra de mais de 100 aeronaves.

Direito de imagem AP
Image caption Presidente iraniano teve encontro de 40 minutos com papa Francisco
Direito de imagem AFP
Image caption No lado de fora do encontro em Roma, manifestantes criticaram o Irã por violações de direitos humanos