BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 18 de fevereiro, 2004 - 15h08 GMT (12h08 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Cruz Vermelha condena construção do muro de Israel
 
Muro na Cisjordânia
Governo israelense diz que o muro é para barrar suicidas
O Comitê Internacional da Cruz Vermelha condenou a construção do muro que separa Israel da Cisjordânia.

Segundo a agência humanitária, a barreira, construída em áreas palestinas, viola a lei internacional e vai "ultrapassar em muito o que é permitido a uma potência ocupante".

Israel diz que o muro se destina a obstruir suicidas. Os palestinos, no entanto, contestam a legalidade da barreira e dizem que isso não é mais do que uma forma de usurpação de terras.

Os comentários da Cruz Vermelha foram feitos poucos dias antes de uma audiência na Corte Internacional de Justiça, em Haia, sobre a legalidade do polêmico muro.

Sem acesso

Israel diz que a corte não tem autoridade para tratar da questão.

A Cruz Vermelha, uma organização considerada neutra, com sede na Suíça, tem observado a construção da barreira de segurança.

A agência diz que, ao longo do território ocupado onde o muro está sendo erguido, milhares de palestinos estão sendo impedidos de ter acesso à água, assistência de saúde e educação.

O muro também causou extensos danos em propriedades e terras palestinas, acrescenta a agência.

“Os problemas que afetam a população palestina na sua vida diária demonstram claramente que o muro viola a obrigação de Israel ante a lei humanitária internacional de assegurar tratamento humano e bem-estar à população civil que vive sob a sua ocupação”, disse a Cruz Vermelha em um comunicado.

Autoproteção

“A Cruz Vermelha adverte Israel a não planear, construir ou manter esse muro no interior do território ocupado.”

No entanto, a organização destacou que respeitava o direito de Israel de se autoproteger e o comunicado não apela à suspensão total da construção.

O correspondente da BBC em Genebra Imogen Foulkes diz que essa se trata de uma declaração frontal de uma organização normalmente neutra.

O embaixador israelense junto das organizações internacionais em Genebra, Yaakov Levy, disse à agência de notícias Associated Press que Israel lamentava a decisão da Cruz Vermelha de criticar o muro.

“Há o perigo da posição da Cruz Vermelha ser transformada numa arma política contra as medidas de autodefesa de Israel”, disse ele.

 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
 
 
LINKS EXTERNOS
 
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade