BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 07 de março, 2004 - 14h12 GMT (11h12 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Waziristão: O esconderijo de Bin Laden?
 

 
 
Suspeitos capturados no Waziristão
O Paquistão vem prendendo e interrogando suspeitos na região
O mundo olha cada vez mais para a remota região tribal do Waziristão do Sul, no Paquistão, à medida que prosseguem os esforços para a captura de Osama bin Laden e outros líderes da Al Qaeda e do Talebam.

No entanto, nenhum deles foi capturado até agora, nessa região semi-autônoma, onde o exército paquistanês conseguiu penetrar só após a invasão americana no vizinho Afeganistão, em outubro de 2001.

Existem relatos contínuos de que líderes tribais de etnia Pashtum estariam fornecendo abrigo e apoio aos fugitivos.

Na última medida do governo para tentar capturá-los, a tribo Ahmadzai Wazir foi multada em cerca de R$ 300 mil, segundo a lei local de responsabilidade coletiva.

A alegada ofensa da tribo foi ter falhado ao prevenir ataques de morteiro contra o exérciito paquistanês e o grupo paramilitar Frontier Corps, em operação na área.

Casas demolidas

O relacionamento entre os líderes tribais e o exército foi abalado recentemente por causa da morte de um número de civis em um incidente, no dia 28 de fevereiro, atribuído a soldados, e referido pelo governo paquistanês, como um caso de “fogo equivocado”.

Por causa da reação irada da comunidade local, o governo instaurou um comitê de três integrantes para investigar o ocorrido.

O inquérito não deve satisfazer a população já que os integrantes do comitê são membros do governo ou militares, e segundo os líderes tribais, não forneceriam um relatório independente.

A morte dos civis, seis deles integrantes de tribos paquistanesas e seis refugiados afegãos, alimentou as tensões na região e tornou mais difícil para o exército conquistar corações e mentes da população tribal, para auxiliá-los na caça à rede Al Qaeda e o Talebam.

O Paquistão vem empregando uma série de artifícios para convencer as sete regiões independentes a apoiar a Guerra ao Terrorismo liderada pelos Estados Unidos.

Um número sem igual de projetos de desenvolvimento, alguns patrocinados pelos EUA, foram iniciados nessas áreas pouco desenvolvidas, para melhorar a educação, saúde e a comunicação.

As tribos que se recusam a cooperar, no entanto, vêm sendo punidas com a demolição de casas, o fechamento de lojas e empresas, a cassação de veículos e o fim de empregos governamentais.

Osama

Líderes tribais já entregaram 60 da lista de 123 nativos que integram a lista dos acusados de abrigar suspeitos. Eles prometeram entregar o resto.

A estratégia do governo parece ser interrogar os suspeitos e localizar fugitivos da Al Qaeda e do Talebam com a informação extraída deles.

Ao mesmo tempo, o Exército equipado com helicópteros e artilharia pesada já realizou quatro operações no Waziristão do Sul.

Um porta-voz militar disse que oito suspeitos da Al Qaeda foram mortos em uma operação e outubro, inclusive um aliado de Osama Bin Laden, o árabe-canadense Ahmad Saeed Khadar.

O Exército já perdeu 16 homens em encontros com militantes. Desconhecidos lançaram ataques de morteiros quatro vezes contra campos militares nos últimos dois meses.

Desde a invasão americana de 2001, mais de 70 mil soldados e integrantes de milícias paquistanesas entraram nas áreas tribais do país, que fazem uma fronteira de 2.500 km com o vizinho Afeganistão.

A mobilização militar foi um pedido dos Estados Unido para impedir que integrantes da Al Qaeda e do Talebam escapassem pelas fronteiras, a princípio da região onde está o complexo de cavernas de Tora Bora, em dezembro de 2001, e depois de outras províncias do Afeganistão.

Em julho, tropas do Paquistão entraram no vale de Tirah, uma região tribal do Waziristão do Norte, pela primeira vez desde a fundação do país, em 1947.

Agora, o Waziristão do Sul é que se encontra sob o microscópio.

Até que essa operação leve à captura de Bin laden, o Waziristão do Sul deve permanecer na mídia internacional.

 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
 
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade