70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 07 de janeiro, 2006 - 23h30 GMT (21h30 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Brasil quer que ONU apure morte de general
 
general Urano Bacellar
O general Urano Bacellar foi encontrado morto neste sábado
O governo brasileiro pedirá que a ONU (Organização das Nações Unidas) conduza uma 'ampla' investigação sobre a morte do general Urano Teixeira da Matta Bacellar, segundo nota divulgada pelo Palácio do Planalto.

"O Presidente da República orientou o Ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, a manifestar ao Secretário-Geral das Nações Unidas, Kofi Annan, a expectativa do Governo brasileiro de que a ONU conduza imediata e ampla investigação sobre o assunto", diz a nota.

Bacellar, que comandava as tropas de paz da ONU no Haiti, foi encontrado morto neste sábado em seu quarto de hotel na capital do país, Porto Príncipe.

Representantes da ONU afirmaram que hipótese mais provável é a de suicídio, mas a força brasileira no Haiti disse que o general havia sofrido um "acidente com arma de fogo".

Equipe brasileira

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva também determinou que uma equipe brasileira se desloque imediatamente ao Haiti.

De acordo com a nota, os ministérios da Defesa, Relações Exteriores e Gabinete de Segurança Institucional irão coordenar as investigações sobre a morte do general do Brasil.

Bacellar assumiu o comando da missão de paz no Haiti em agosto do ano passado, substituindo o general Augusto Heleno Ribeiro Pereira.

O Brasil está à frente do contingente militar da Minustah (missão de paz da ONU no Haiti, na sigla em francês) desde a chegada das tropas ao país, em junho de 2004, quatro meses depois da queda do então presidente Jean Bertrand Aristide.

A morte do general ocorre um dia depois de o Conselho de Segurança da ONU ter exigido a realização de eleições no Haiti até o próximo dia 7 de fevereiro.

Leia abaixo a íntegra da nota da Presidência da República:

'O Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, manifesta seu profundo pesar pelo falecimento do General Urano Teixeira da Matta Bacellar. O General Urano Bacellar, conhecido por seu preparo e competência, vinha conduzindo com excelência e grande responsabilidade a difícil tarefa de comandar o Componente Militar da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (MINUSTAH). O Presidente Lula estende os seus sentimentos aos familiares do General Urano Bacellar, neste momento de dor e tristeza.

O Presidente da República orientou o Ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, a manifestar ao Secretário-Geral das Nações Unidas, Kofi Annan, a expectativa do Governo brasileiro de que a ONU conduza imediata e ampla investigação sobre o assunto. Orientou, também, os ministérios da Defesa, Relações Exteriores e Gabinete de Segurança Institucional a coordenarem o acompanhamento pelo Brasil destas investigações e determinou que equipe dos órgãos brasileiros envolvidos se desloque imediatamente ao Haiti.

Por fim, o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva reitera sua plena confiança no trabalho desenvolvido pelas tropas brasileiras no Haiti e reafirma a determinação do governo brasileiro de continuar apoiando o povo haitiano na construção da paz e normalização política daquele País.

Secretaria de Imprensa e Porta-Voz da Presidência da República'

 
 
Dodge ChallengerSalão de Detroit
Automóveis pequenos e retrôs dão a tônica; veja fotos.
 
 
Escultura de geloArte de inverno
Veja fotos do festival de gelo em Harbin, na China.
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
LINKS EXTERNOS
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade