70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 12 de janeiro, 2006 - 19h38 GMT (17h38 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Autoridade diz que Irã 'não está preocupado' com ameaças
 
Técnicos iranianos em instalações nucleares
Irã alega que o seu programa nuclear tem fins pacíficos
Uma autoridade do Irã declarou nesta quinta-feira que o país não está preocupado com a ameaça dos países europeus de levar o país ao Conselho de Segurança da ONU por causa da decisão de retomar seu programa nuclear.

Segundo a agência de notícias Reuters, Abdolreza Rahmani-Fazli, vice-secretário do Supremo Conselho Nacional de Segurança, fez a declaração à rede estatal de TV.

Mais cedo, os ministros das Relações Exteriores de Alemanha, Grã-Bretanha e França disseram que o Irã deve ser levado ao Conselho depois de ter retomado unilateralmente suas atividades nucleares.

O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeyer, disse que a confiança da União Européia no Irã foi abalada profundamente.

Confiança abalada

Após reunir-se com seus colegas britânico e francês, Steinmeyer disse que eles decidiram pedir ao comitê executivo da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) para analisar o assunto.

Na terça-feira, o Irã rompeu os lacres internacionais de sua unidade de pesquisas sobre enriquecimento de urânio em Natanz, gerando preocupações dos Estados Unidos, da União Européia e da Rússia.

Eles temem que o Irã esteja tentando desenvolver armas atômicas, o que Teerã nega.

O encontro dos ministros europeus deve levar a uma outra reunião, de emergência, da diretoria da AEIA, provavelmente em duas ou três semanas.

A diretoria pode então remeter o caso ao Conselho de Segurança da ONU em Nova York. O conselho da AIEA precisa de maioria simples entre os 35 membros (entre eles o Brasil) para encaminhar o caso para o Conselho de Segurança da ONU.

O Conselho de Segurança poderia tomar várias medidas, que vão desde a divulgação de uma declaração de apoio aos esforços da AIEA em relação ao assunto até a adoção de sanções contra Irã.

O ministro das Relações Exteriores britânico, Jack Straw, disse que várias propostas foram feitas ao Irã, incluindo a possibilidade de entrada na Organização Mundial do Comércio (OMC), mas que apesar dos esforços o Irã deu as costas aos negociadores europeus. Segundo ele, o país não deixou alternativa a não ser recorrer ao Conselho de Segurança.

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, insistiu que as pesquisas nucleares de seu país continuarão apesar do “barulho” ocidental.

Segundo declarações de um diplomata ocidental em Viena a agências de notícias, o Irã rompeu nesta quinta-feira os lacres de mais duas de suas unidades nucleares.

O diplomata, que pediu anonimato, disse que o equipamento nuclear iraniano está em mau estado, exigindo algum tempo para que os trabalhos possam ser efetivamente retomados.

 
 
Atividades na planta de IsfahanEntenda
Conheça os detalhes sobre a polêmica nuclear do Irã.
 
 
Vítimas do tumultoTragédia no Hajj
Mais de 300 morrem em tumulto perto de Meca; veja fotos
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
LINKS EXTERNOS
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade