BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 21 de novembro, 2006 - 18h26 GMT (16h26 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Acompanhe reações ao assassinato do ministro libanês
 
Pierre Gemayel, ministro da indústria libanês
Gemayel era conhecido por sua posição anti-Síria
O ministro da Indústria do Líbano, Pierre Gemayel, conhecido por sua posição anti-Síria, foi assassinado a tiros em Beirute nesta terça-feira.

Gemayel era filho do ex-presidente libanês Gemayel Amin.

Veja abaixo algumas das reações à morte do ministro ao redor do mundo:

Saad Hariri, filho do ex-premiê libanês Rafik Hariri

"A Revolução de Cedro (movimento contra a ocupação síria no Líbano) está sob ataque. Hoje um dos nossos que mais acreditavam em um Líbano democrático foi morto. Acreditamos que a Síria está totalmente envolvida.

O povo libanês não vai desistir do tribunal internacional. Isso os fará ainda mais determinados.

Levaremos à justiça aqueles que mataram Pierre Gemayel."

Agência de notícias oficial da Síria

"A Síria condena categoricamente o assassinato. Este é um crime com o objetivo de desestabilizar o Líbano.

A Síria se preocupa em manter a segurança, unidade e paz entre os civis no Líbano."

Hassan Fadlallah, parlamentar do Hezbollah no Líbano

"Em primeiro lugar, condenamos este crime. Ele tem o objetivo de semear a confusão e aprofundar a crise no Líbano.

No entanto, antes de começar a distribuir acusações ou nomear os responsáveis pelo crime, é responsabilidade do governo libanês começar imediatamente uma investigação."

Nicholas Burns, subsecretário de Estado dos EUA

"Este é um dia muito triste para o Líbano. Estamos chocados por causa deste assassinato. Nós o consideramos um ato de terrorismo e intimidação.

Acreditamos que seja responsabilidade de todos os países apoiar o governo de (Fouad) Siniora nos próximos dias e semanas."

Margaret Beckett, chanceler da Grã-Bretanha

"Já existem problemas suficientes no Líbano e esperamos profundamente que este tenha sido um caso isolado porque o que estamos todos ansiosos para fazer é reconstruir o Líbano e não presenciar mais morte e destruição."

Tzipi Livni, chanceler de Israel

"As notícias vindas do Líbano são outro exemplo do tipo de região, dos vizinhos que temos.

O papel negativo da Síria no Líbano não é algo novo ou altamente secreto e faz apenas algumas semanas que a comunidade internacional conseguiu retirar as forças sírias e a Síria do Líbano.

No entanto, eles claramente estão tentando se envolver agora, mas é muito cedo para dizer algo de mais concreto."

Philippe Douste-Blazy, chanceler da França

"Frente a esta nova tentativa de desestabilizar o Líbano, a França deseja assegurar o povo libanês de que ela está determinada a lutar ao seu lado para garantir a sua soberania e independência."

 
 
Conflito no Oriente MédioOriente Médio
Saiba mais sobre o conflito entre Israel e palestinos.
 
 
O líder do grupo militante islâmico Hezbollah, Hassan NasrallahConflito no Líbano
Hezbollah confirma negociação com Israel.
 
 
Rafik HaririLíbano
ONU diz que Rafik Hariri foi 'assassinado por suicida'
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Governo do Líbano aprova tribunal internacional
13 de novembro, 2006 | Notícias
Síria nega plano para derrubar governo libanês
02 de novembro, 2006 | Notícias
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade