BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 27 de dezembro, 2007 - 19h45 GMT (17h45 Brasília)
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
Protestos colocam polícia do Paquistão em alerta vermelho
 
Veículos incendiados na cidade de Hyderabad, no Paquistão
Manifestantes incendiaram veículos em Hyderabad
A morte da ex-primeira-ministra paquistanesa Benazir Bhutto provocou uma onda de protestos em algumas das principais cidades do país e forçou o Ministério do Interior a colocar forças de seguranças em alerta vermelho.

Segundo um correspondente da BBC, a onda de violência é pior na província de Sindh, o reduto eleitoral de Bhutto, no sul do país. Na capital provincial, Karachi, milhares teriam participado de protestos, incendiando carros e imóveis.

Episódios parecidos foram registrados em Hyderabad e em Jacobabad, onde o principal tribunal foi atingido por um incêndio.

De acordo com a agência de notícias Associated Press, pelo menos nove pessoas morreram em protestos – quatro em Karachi, duas em Sindh, duas em Lahore e uma em Tando Allahyar.

Musharraf

A televisão paquistanesa exibiu imagens feitas em Rawalpindi, onde ocorreu o assassinato de Bhutto, mostrando seguidores do partido da ex-primeira-ministra atacando viaturas da polícia.

Muitos manifestantes culparam o governo pelo ocorrido.

A agência France Presse informou que, em Jacobabad, lojas que pertencem à família do atual primeiro-ministro interino, Mohammedmian Soomro, foram incendiadas assim como retratos do premiê.

Em Peshawar, no noroeste, a polícia usou cacetetes e bombas de gás lacrimogêneo para conter a multidão, que gritava palavras de ordem contra o presidente Pervez Musharraf.

Musharraf decretou três dias de luto nacional em virtude da morte de Bhutto e pediu calma à população.

Boicote

O ex-primeiro-ministro Nawaz Sharif anunciou nesta quinta-feira que seu partido, a Liga Muçulmana do Paquistão – Grupo de Nawaz Sharif (PML-N, na sigla em inglês), não participará das eleições parlamentares marcadas para 8 de janeiro.

"Em vista desse trágico incidente, nosso partido decidiu boicotar essas eleições, porque a responsabilidade recai sobre o governo", disse Sharif.

"Acho que é nosso dever moral, nosso dever nacional e nosso dever como patriotas paquistaneses que expressemos solidariedade integral a Benazir Bhutto, ao povo de Sindh e ao resto do país e boicotemos as eleições", acrescentou o ex-primeiro-ministro.

"Porque ninguém tem nenhuma fé, nenhuma confiança nessas eleições com Musharraf no poder", afirmou Sharif.

O ex-primeiro-ministro exigiu que Musharraf renuncie imediatamente, acusando-o de ser a "causa de todos os problemas", e conclamou outros partidos a também anunciarem um boicote ao pleito de janeiro.

 
 
Ataque no Paquistão Paquistão
Benazir Bhutto morre em atentado.
Veja
 
 
George W. Bush, presidente dos EUA Atentado
Leia as reações internacionais à morte de Benazir Bhutto.
 
 
A ex-premiê paquistanesa Benazir Bhutto, morta nesta quinta-feira Benazir Bhutto
Ex-premiê do Paquistão teve uma trajetória volátil.
 
 
Benazir Bhutto em foto de 1972 Benazir Bhutto
Veja fotos da carreira política da ex-premiê.
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Termina estado de emergência no Paquistão
15 dezembro, 2007 | BBC Report
Ataque a base militar mata 5 no Paquistão
15 dezembro, 2007 | BBC Report
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade