70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 28 de novembro, 2005 - 07h50 GMT (05h50 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
'Patrão, o trem atrasou'
 
Ivan Lessa
Os sambas disseram tudo. Chegou cansado do trabalho? Porque você trabalhou, trabalhou, trabalhou. Trabalha como um louco mas ganha muito pouco. Dava mole para eu produzir um CD duplo só de músicas ligadas a trabalho. Infelizmente, um musicólogo mais autorizado já deve ter se dado ao – inevitável a palavra – trabalho.

Mas do que eu quero falar mesmo é da desculpa que se dá para não trabalhar. Independente da macunaíssima preguiça, que, pelo que depreendo, era pura invenção do Mário de Andrade, coisa que passou, datada, deletada.

No Brasil de hoje todo mundo trabalha. A herança de Vargas colou. No entanto, aí tal como aqui chega-se atrasado ao trabalho. Bate-se o ponto, se é que ainda há ponto, e bate vermelho e é desconto garantido no fim do mês. Um samba dava a desculpa de praxe da época, uns 60 anos atrás: “Patrão, o trem atrasou”. Funcionava. Tinha trem e trem atrasava adoidado.

Aqui na Grã-Bretanha, fico sabendo, perdem-se 17 milhões de dias de trabalho por ano devido, não a atraso do trem, que, aliás, virou lugar-comum nas ilhas, mas sim a ressaca.

E não estou falando daquelas ressacas que cobrem de areia as ruas da Zona Sul carioca. É ressaca de carraspana mesmo, pois eles bebem mal, à antiga e, agora, se quiserem, podem tomar umas birinaites 24 horas por dia, uma vez que entrou em campo a licença para as “biridêis”, se é que faz sentido o que estou dizendo, se vocês estão sóbrios ao ponto de entenderem meu joguinho fuleiro de palavras.

A ressaca, no entanto, apesar de comum ao gênero humano, principalmente ao gênero britânico, é coisa que cada classe social dos ilhéus responde de maneira diferente. Classe média liga para o trabalho às 9 e meia da matina e diz que está resfriada ou com piriri, e que vai adiantar o serviço em casa mesmo.

Classe trabalhadora (mas também podem chamar de operário ou de pobre mesmo) bota a culpa no trem, na polícia, no tempo, naquilo que estiver dando sopa enfim e estamos conversados. E descontados também no fim do mês.

“Patrão, o trem atrasou tanto que no meio da tarde eu desisti e voltei para casa” infelizmente é uma boa, daria outro sambinha, mas só que não cola.

 
 
66Arquivo - Ivan
Leia as colunas anteriores escritas por Ivan Lessa.
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Beber bem e beber mal
25 novembro, 2005 | BBC Report
Da cor dos esquilos
14 novembro, 2005 | BBC Report
Ivan Lessa: Espertezas
11 novembro, 2005 | BBC Report
Tristes notícias da França
09 novembro, 2005 | BBC Report
Licenças para libar
07 novembro, 2005 | BBC Report
Quão britânico sou?
02 novembro, 2005 | BBC Report
A inteligência e os livros
31 outubro, 2005 | BBC Report
Chá para 582 mil pessoas, please
28 outubro, 2005 | BBC Report
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade