http://www.bbcbrasil.com

25 de novembro, 2005 - 17h13 GMT (15h13 Brasília)

Jair Rattner
de Lisboa

Disco traz dueto de Caetano e cantora do Madredeus

Teresa Salgueiro, a voz do Madredeus, em dueto com Caetano Veloso, Zeca Baleiro e José Carreras. Estas são algumas das atrações do disco Obrigada, que a cantora e o conjunto português mais conhecido do mundo estão lançando na Europa e que chega no Brasil no início de janeiro.

"É um disco de duetos, de encontros musicais, que foi gravado ao longo de muitos anos e que, no fundo, ilustra o mundo que a nossa música tem encontrado", conta Teresa.

São 14 faixas, cantadas em português, espanhol e italiano, gravadas desde 1990.

Porém, a cantora não considera o novo disco uma guinada em sua carreira: "Este disco não tem intenção de fazer concertos. Não temos sequer tempo para fazer concertos. A idéia deste disco e fazer uma edição."

O disco traz ainda músicas com os portugueses Maria João e Mário Laginha, o italiano Ângelo Branduardi, o espanhol da Galícia Carlos Nuñez, o acordeonista japonês Coba e outra acompanhada pelo tocador de guitarra portuguesa Antônio Chainho, que acompanhava a fadista Amália Rodrigues.

Brasileiros

Segundo Teresa, a idéia de cantar com Zeca Baleiro e Caetano Veloso foi do músico contemporâneo italiano Aldo Brisi. A música com Baleiro chama-se Ondas.

"Nós estávamos em turnê na Itália e o Aldo Brisi foi ao nosso concerto em Roma e convidou-me a cantar inicialmente o primeiro tema com o Zeca Baleiro, que era um músico que eu não conhecia e que para mim foi uma grande revelação", afirmou Teresa.

"Ele tem uma voz muito bonita e depois fiquei muito contente com o contraste das vozes, porque ele tem uma voz muito quente e grave e eu estou a cantar lá numa região muito aguda, com uma voz muito lisa."

Depois de ver o resultado, Brisi convidou Teresa para uma música com Caetano, Mistérios de Afrodite. No entanto, ela não chegou dividir o mesmo estúdio com os brasileiros.

"Foi um encontro virtual. Nós nunca nos encontramos. Mistérios de Afrodite foi uma canção que eu cantei duas vezes. O Aldo Brisi ia com as fitas de um lado para o outro. Depois que o Caetano pôs a voz eu achei que eu gostaria de cantar outra vez."

Para Teresa, foi um trabalho completamente novo: "É uma linguagem muito diferente daquela que eu costumo cantar. O Aldo é um compositor contemporâneo, é o primeiro disco em que ele compõe canções."

Teresa, que tem 35 anos e está há quase 18 no Madredeus, conta que nunca tinha imaginado que fosse cantar com estes músicos.

Ela também revela com qual cantora brasileira gostaria de fazer um novo dueto: "Em relação aos músicos brasileiros, a cantora que eu mais gosto é a Marisa Monte."

Carreras

As duas músicas que ela canta com o tenor espanhol José Carreras são em português. A primeira faz parte do repertório do Madredeus.

As únicas canções ao vivo são as gravadas com Maria João e Mário Laginha e com o José Carreras.

"Com José Carreras tivemos um encontro da Exposição Internacional de Lisboa de 1998 em que estivemos nós, o Michael Nyman e o Carreras. A organização fez questão que cantássemos uma música. Nós propusemos Haja o que Houver e ele aceitou".

A gravação que está no disco só ocorreu dois anos depois, quando Carreras convidou o Madredeus para participar de um concerto na Espanha, o Festival del Millenio.

"Nós fizemos a primeira parte e depois ele entra cantando a Misa Creola, do argentino Gabriel Ramirez. Nós fizemos questão que cantássemos juntos uma música em português e ele escolheu o samba Manhã de Carnaval, que é um samba lindíssimo".

O grupo Madredeus viaja no começo de dezembro para tocar no Brasil.

"Vamos estar lá apenas cinco dias, com o concerto Um Amor Infinito. Será uma correria. Vamos estar em Porto Alegre, Curitiba e São Paulo, onde vamos fazer dois espetáculos".

O grupo chega a Porto Alegre no dia 4 e parte para Portugal no dia 9.