BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 10 de agosto, 2006 - 18h33 GMT (15h33 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
EUA vão reduzir ajuda financeira à Colômbia
 

 
 
Tropas das Farc
Farc e grupos ligados ao tráfico são os principais alvos dos EUA
Altos funcionários do governo norte-americano disseram à BBC que Washington vai diminuir os repasses financeiros para o Plano Colômbia, iniciativa que combate o tráfico de drogas no país, nos próximos cinco anos.

A embaixadora Anne Patterson, secretária de Estado adjunta para Assuntos de Narcotráfico Internacional, disse que "o apoio financeiro dos Estados Unidos" diminuirá e que devido ao fortalecimento econômico e militar da Colômbia, o país “começará a assumir mais a responsabilidade financeira” da operação.

Patterson, que foi embaixadora americana na Colômbia entre 2000 e 2003, destacou os avanços econômicos do país e o fortalecimento policial e militar como base para redução da ajuda financeira.

“O que veremos, com o tempo, é que o apoio financeiro dos Estados Unidos diminuirá e que a Colômbia, que está recolhendo mais impostos e com uma presença melhor no campo, passará também a assumir mais a responsabilidade financeira”, disse Patterson.

A Colômbia já recebeu, desde 2000, US$ 5 bilhões do governo americano para o programa que combate o narcotráfico no país.

Apoio nos EUA

Segundo Patterson, o Plano Colômbia ainda possui grande apoio dos dois partidos norte-americanos. Portanto, qualquer redução de ajuda financeira será gradual.

John Walters, chefe do programa de combate às drogas do governo dos Estados Unidos, também conversou com a BBC em Londres.

Segundo ele, o Plano Colômbia foi muito bem-sucedido até agora.

“No último estudo que fizemos, descobrimos que a pureza da cocaína caiu e que o preço subiu”, disse Walters.

Ele afirmou que o sucesso do Plano Colômbia tanto no país andino como nos Estados Unidos permitirá que Washington reduza a sua participação na ação.

O sucesso do plano, no entanto, é questionado por críticos.

A organização não-governamental Escritório de Washington para América Latina (sigla Wola, em inglês) publicou um estudo neste ano mostrando que a área cultivada de drogas se expandiu por todos os departamentos (equivalente a Estados) colombianos.

Antes do Plano Colômbia, a plantação estava restrita a três departamentos.

Segundo Josh Walsh, representante do Wola na Colômbia, o anúncio norte-americano é uma forma de sair do país, mesmo sem ter atendido às metas do plano.

“Esta saída vem de um sentimento de que não se conseguirá ter o sucesso prometido na guerra contra as drogas”, disse Walsh.

 
 
Soldados das FarcGuerra na selva
Conflito com as Farc ainda é maior desafio de Uribe.
 
 
Soldados americanos treinaram soldados colombianosPlano Colômbia
Após 6 anos, plano não diminuiu produção de coca.
 
 
Álvaro UribeColômbia
Uribe quer reeleição para derrotar narcotráfico.
 
 
Membro do ELNColômbia
Governo propõe trégua a 2º maior grupo rebelde.
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Carro-bomba mata 6 em Cali, na Colômbia
05 de agosto, 2006 | Notícias
Emboscada mata 16 pessoas na Colômbia
01 de agosto, 2006 | Notícias
Colômbia vê proposta das Farc com cautela
24 de junho, 2006 | Notícias
Farc declaram guerra ao ELN na Colômbia
12 de junho, 2006 | Notícias
LINKS EXTERNOS
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade