BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 13 de fevereiro, 2007 - 02h14 GMT (00h14 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
DEA nega que 90% da cocaína que entra nos EUA passe por Farc
 
Cocaína
Segundo DEA, uma 'grande parte' da cocaína passa pelas Farc
O porta-voz do departamento de combate às drogas dos Estados Unidos (DEA, em inglês) negou que 90% da cocaína que entra em território americano passe pelas mãos do grupo rebelde Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

A informação havia sido divulgada na revista Semana. Em entrevista à publicação colombiana, o chefe de operações da DEA, Michael Braun, descreveu os militantes das Farc como "metade terroristas, metade traficantes, a face do crime global do século 21".

"Nove de cada dez gramas de cocaína que entram nos Estados Unidos passam pelas mãos das Farc em algum momento", disse Braun.

Mas o porta-voz da DEA, Garrison Courtney, afirmou que Braun se referia ao fato de 90% da cocaína que entra nos Estados Unidos ser proveniente da Colômbia, não das Farc, embora "uma grande parte" da droga passe pelas mãos dos guerrilheiros.

Courtney não quis especificar que proporção da droga está nas mãos das Farc.

Em março de 2006, a diretora da DEA, Karen Tandy, disse que as Farc eram responsáveis por 60% da cocaína que entra em seu país.

Aliados

A Colômbia é considerada o grande aliado dos Estados Unidos em uma zona onde governos qualificados como "antiamericanos" proliferam nos últimos anos.

Recentemente o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, pediu ao Congresso americano que prolongue o financiamento do chamado Plano Colômbia no orçamento 2007/2008.

A Colômbia foi o único país que se beneficiou do aumento da ajuda à região no orçamento que começa em outubro de 2007. Por outro lado, os recursos destinados à Iniciativa Andina Contra as Drogas foram reduzidos em 41%.

O Plano Colômbia foi implementado em 2000 - uma iniciativa dos então presidentes da Colômbia, Andrés Pastrana, e dos Estados Unidos, Bill Clinton.

Os Estados Unidos já investiram US$ 3 bilhões (cerca de R$ 6,3 bilhões) no Plano Colômbia, que repassa verba para o governo de Bogotá combater o narcotráfico.

 
 
Soldados das FarcGuerra na selva
Conflito com as Farc ainda é maior desafio de Uribe.
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Comandante das Farc é julgada nos EUA
10 de janeiro, 2007 | Notícias
LINKS EXTERNOS
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade