BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 02 de outubro, 2007 - 14h59 GMT (11h59 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Médicos cubanos operaram homem que matou Che
 
Che Guevara
Che Guevara foi capturado e morto no leste da Bolívia, em 1967
A vista do homem que matou o líder revolucionário Ernesto Che Guevara, em 1967, foi salva por médicos cubanos em missão na Bolívia, de acordo com informações veiculadas na imprensa oficial de Cuba.

Sargento do Exército boliviano, Mario Terán matou Che Guevara depois que ele foi capturado no leste da Bolívia.

Ele sofria de cataratas e no ano passado passou por uma operação para removê-las, como parte de um programa cubano de oferecer tratamentos oftalmológicos gratuitos em toda a América Latina.

A informação foi publicada no jornal oficial Gramma às vésperas das comemorações do 40º aniversário da morte de "Che", no próximo dia 9 de outubro.

"Quatro décadas depois de Mario Teran ter tentado destruir um sonho e uma idéia, Che retorna para vencer mais uma batalha", diz o jornal.

"Hoje um homem velho, ele [Terán] pode apreciar de novo as cores do céu e da floresta, admirar os sorrisos dos seus netos e assistir a jogos de futebol."

À época da operação, o filho de Terán escreveu artigo no jornal boliviano Deber agradecendo aos médicos cubanos por recuperar a visão do pai.

Figura central na revolução cubana de 1959, o médico argentino Ernesto Che Guevara viajou para a Bolívia em 1966 para dar início à revolução naquele país.

Em outubro de 1967, porém, o Exército boliviano, com a ajuda da CIA (serviço secreto americano), capturou "Che" e os guerrilheiros que o acompanhavam.

Ferido nos combates, o líder rebelde foi levado no dia 8 de outubro para uma escola na vila de La Higuerapara para que se decidisse o que fazer com ele.

Mario Teran teria, então, recebido a ordem de executar Che Guevara, o que fez no dia 9 de outubro.

Segundo o Gramma, o próprio Terán contou em entrevista depois da morte do líder rebelde que a sua mão no gatilho tremia diante de Che - a quem disse ver como "grande, muito grande, enorme".

O corpo foi levado a um hospital local e o cadáver, exibido para jornalistas do mundo inteiro. Em 1997, seus restos mortais foram exumados e devolvidos a Cuba, onde ele foi enterrado novamente.

 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Fidel aparece em entrevista à TV cubana
21 setembro, 2007 | BBC Report
LINKS EXTERNOS
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade