BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às:
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Polícia e estudantes entram em choque em Caracas
 

 
 
Estudantes durante passeata na Venezuela
Líderes estudantis disseram que é preciso debater a proposta
Estudantes venezuelanos entraram em choque com a polícia nesta terça-feira durante uma passeata contra o projeto de reforma constitucional que está sendo debatido na Assembléia Nacional da Venezuela.

Milhares de estudantes participaram da marcha pelas ruas de Caracas, a capital venezuelana. Segundo a agência de notícias estatal, os estudantes jogaram pedras e garrafas nos policiais, que responderam com bombas de gás lacrimogêneo.

"Não à reforma" foi o coro entoado pelos manifestantes, que se dirigiram à Assembléia Nacional para entregar uma petição em que solicitam o adiamento do referendo previsto para 3 de dezembro.

"Queremos debater a reforma e fazer uma verdadeira discussão sobre as mudanças de que o país necessita", disse Stalin Gonzalez, um dos dirigentes da manifestação, para quem a reforma é "inconstitucional".

Outro participante do protesto, Luis Hernandez, disse à BBC Brasil que os estudantes não vão aceitar a reforma "assim como eles (o governo) querem" e reforçou a necessidade de discutir as mudanças.

Petição

Um grupo de representantes dos estudantes foi escoltado pela Guarda Nacional até o interior da Assembléia Nacional, onde a petição foi apresentada aos deputados.

"Recebemos os estudantes e, em poucos dias, apresentaremos suas propostas à opinião pública", disse o deputado Calixto Ortega, um dos parlamentares que recebeu a comissão estudantil. "Não mudaremos uma vírgula da Constituição se o povo não quiser."

O referendo, que os estudantes propõem que seja realizado em 3 de fevereiro, deverá aprovar ou não a reforma proposta pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

O texto da reforma está em sua terceira e última discussão e deverá ser aprovado ainda nesta semana.

Logo depois, o Conselho Nacional Eleitoral se encarregará de convocar o referendo.

Reeleição

Há um mês, Chávez apresentou um projeto de reforma de 33 artigos da Constituição elaborada em 1999.

Posteriormente, os parlamentares incluíram na proposta a modificação de mais 28 artigos. No total, 16% da Constituição poderá ser mudada.

Para a oposição, o ponto mais polêmico da proposta de reforma é o artigo que permite o fim do limite para reeleição para o cargo de presidente.

A Constituição vigente prevê apenas uma reeleição direta com um período de seis anos para cada mandato.

A reforma também propõe a redução da jornada de trabalho de oito para seis horas diárias, o fim da autonomia ao Banco Central, a inclusão do "poder popular" na escala dos poderes estatal, nacional e local, e a proibição do latifúndio.

 
 
Hugo ChávezVenezuela
ONG critica proposta que limita direitos em 'estado de exceção'.
 
 
O presidente da Venezuela, Hugo ChávezNova Constituição
Venezuela lança ofensiva para divulgar reforma.
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
LINKS EXTERNOS
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade