BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 26 de novembro, 2007 - 20h02 GMT (18h02 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Vice da Bolívia diz que protestos são plano para derrubar Morales
 

 
 
Protestos em Sucre
Imprensa local diz que protestos em Sucre deixaram quatro mortos
O vice-presidente da Bolívia, Álvaro García Linera, disse nesta segunda-feira que a violência registrada nos últimos dias na cidade de Sucre, no Estado de Chuiquisaca, faz parte de um plano para "derrubar" o presidente Evo Morales, de acordo com o órgão oficial Agência Boliviana de Informação (ABI).

Os confrontos entre seguidores e opositores de Morales, após a aprovação do texto geral da nova Carta Magna, deixaram quatro mortos e mais de cem feridos, segundo diferentes jornais e emissoras de rádio do país.

"Existe claramente um plano que tem vários pontos", disse Linera. "Começa pela resistência civil, ocupação das instalações públicas, promoção de algumas manifestações e bloqueio do setor de transportes."

Segundo o vice-presidente, faz parte deste suposto plano não só o objetivo de "matar" a Constituinte, mas gerar ainda incertezas econômicas.

'Decálogo'

O plano da oposição, segundo declarações de Linera à ABI, inclui o fechamento de válvulas de gás e petróleo, o aumento dos preços dos produtos e todo um "decálogo" emitido pelo setor cívico e a "ultradireita".

O setor cívico é uma referência aos comitês reunidos nos Estados onde existe maior resistência às políticas do presidente Morales, como em Santa Cruz de la Sierra, por exemplo.

Na região, fica o chamado "Comitê Cívico Pró-Santa Cruz", que conta com a participação de líderes políticos da oposição e profissionais de diferentes setores pouco simpáticos ao governo de Morales.

"Existe uma guerra econômica que já foi denunciada pelo presidente", afirmou Linera. "E também existe a decisão de se tentar aprovar uma carta de autonomia de fato, que é golpista. Isso sim é que é golpismo."

A declaração do vice-presidente foi uma reação à intenção de alguns Estados de acelerar a autonomia política e econômica de suas regiões, antes mesmo das discussões na Constituinte.

Para Linera, existe uma "guerra contra as mudanças" e essa "guerra é a morte contra a Constituinte e o governo".

Passeata

Nesta segunda-feira, o presidente Morales liderou uma passeata pelas ruas de La Paz, em defesa da nova Carta Magna – com a qual afirma que se "refundará" o país.

O líder boliviano também pediu apoio do Congresso para aprovação de uma renda vitalícia para os maiores de 60 anos.

Ao mesmo tempo, o comandante geral da Polícia boliviana, Miguel Vásquez, pediu ao governo nesta segunda-feira "garantias" para realizar os trabalhos de segurança em Sucre, onde um policial foi linchado e estaria entre os quatro mortos nos distúrbios.

Na confusão, os policiais deixaram a cidade e 120 presos da Penitenciária San Roque aproveitaram para escapar.

 
 
Protestos na BolíviaBolívia
Manifestantes se opõem à Constituição.
Veja
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade