BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 15 de dezembro, 2007 - 22h50 GMT (20h50 Brasília)
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
Estados bolivianos levam 'estatuto de autonomia' às ruas
 

 
 
Manifestantes em apoio a Morales
Em La Paz, manifestação de apoio à nova Constituição
Quatro dos nove departamentos (estados) bolivianos apresentaram publicamente neste sábado seus estatutos de autonomia que, em tese, funcionariam como uma Constituição paralela à do governo central.

Autoridades de Santa Cruz, Beni, Pando e Tarija levaram os documentos aos eleitores em praças públicas e agora querem recolher um abaixo-assinado para que o texto seja enviado ao Congresso Nacional.

Essas regiões desejam ter autonomia financeira e de outros setores institucionais, o que, na prática, lhes permitiria ter suas próprias leis, manejar seus recursos naturais, transportes, saúde, educação e economia.

A iniciativa foi duramente criticada pelo presidente Evo Morales, que discursou para uma multidão em La Paz durante as comemorações da aprovação da nova Constituição nacional.

"O capitalismo foi a pior coisa que existiu para a humanidade. Nós começamos a descolonizar Bolívia. Todo boliviano terá direito a um pedaço de terra. E os fazendeiros vão devolver suas terras espontaneamente”, disse Morales, enfatizando que não permitirá a divisão do país.

Durante o discurso, que aconteceu na véspera da chegada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Bolívia, Morales falou dos principais pontos aprovados na carta magna, que ainda depende de ratificação em referendo popular.

“Pela primeira vez, a folha de coca aparecerá numa Constituição do Estado”, disse, sem dar mais detalhes. “Agora, temos que ir juntos para a última batalha, que é a do referendo para que a nova Constituição entre logo em vigor”.

Plebiscito

Pouco antes, o prefeito de Santa Cruz de la Sierra, Rubén Costas, recebeu o estatuto de autonomia do estado das mãos do presidente da “Assembléia Provisória Autônoma”, Carlos Pablo Klinsky, que lhe disse: “O senhor é nosso governador de agora em diante”.

Na Bolívia, o título de governador significaria a confirmação de que o líder estadual não dependeria das orientações da carta magna nacional e da vinculação com o governo central.

Costas disse que seu objetivo é reunir 70 mil assinaturas para que seja realizado um referendo popular que confirme a autonomia de Santa Cruz de la Sierra. Neste caso, o abaixo-assinado não seria enviado ao Congresso Nacional, como programado.

Autoridades no estado de Beni também informaram que um referendo para aprovação do estatuto será realizado em março.

O dia tenso ainda foi marcado pela explosão de uma bomba em um dos andares do Palácio da Justiça, de Santa Cruz de la Sierra. O artefato causou danos materiais, mas não deixou feridos.

 
 
Fitas com as inscrição "Autonomia", vendidas nas ruas de Santa Cruz de la Sierra Bolívia
Entenda a tensão entre governo e oposição.
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Bolívia aprova a nova Constituição do país
09 dezembro, 2007 | BBC Report
Oposição convoca greve geral na Bolívia
27 novembro, 2007 | BBC Report
LINKS EXTERNOS
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade