BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 16 de dezembro, 2007 - 21h21 GMT (19h21 Brasília)
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
Visita de Lula é 'demonstração de apoio' a Morales
 

 
 
Lula e Morales
Lula chega à Bolívia em momento de tensão interna
A visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Bolívia está sendo vista como uma demonstração de apoio ao líder boliviano Evo Morales, num momento delicado da política interna do país.

O analista político Hugo Arevaldo Lemón disse que a visita de Lula é boa para Morales, porque ajuda o presidente boliviano a se distanciar da figura do presidente venezulano, Hugo Chávez.

“A visita ajuda Morales a se distanciar de Chávez e ao mesmo tempo mostra que Lula reconhece o processo de nacionalização”, afirmou.

Na avaliação de Lemón, há atualmente na Bolívia uma rejeição à presença tão marcante de Chávez na política do país.

Lula chega à Bolívia num momento de grande tensão interna. Morales está sendo criticado pela oposição por não aceitar as reivindicações de quatro estados do leste e sul do país (a chamada meia lua), que querem autonomia do governo central para criar suas próprias leis, manejar seus recursos naturais e os setores de transportes, saúde, educação e economia.

A oposição ainda critica a aprovação do texto da nova Constituição numa sessão que não contou com a presença dos adversários do governo. A nova carta magna ainda será submetida aos eleitores num plebiscito.

Luta

Em entrevista neste domingo ao jornal boliviano La Prensa, Lula defendeu Morales. Disse que ele foi eleito pela maioria da população e que se “identifica com ele por sua luta em favor da inclusão social e econômica”.

“Nós temos um compromisso com a Bolívia e com o povo boliviano. Estamos aqui para ajudar”, afirmou Lula ao jornal.

Ainda na entrevista ao La Prensa, Lula tentou minimizar a quebra de contratos do governo boliviano com petroleiras estrangeiras e as mudanças na legislação que rege o setor dos hidrocarbonetos no país.

Para Lula, o “importante é manter as regras no futuro”.

"Isso é fundamental para atrair novos negócios e permitir que os investimentos programados sejam mantidos", afirmou.

Lula chega a La Paz neste domingo com uma delegação de seis ministros, além do presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, e representantes de outros ministérios.

Numa demonstração de que o governo brasileiro apóia os investimentos que serão anunciados, um grupo de 33 representantes de 14 empresas brasileiras acompanha alguns eventos da visita.

Entre as empresas estão Odebrechet, Queiroz Galvão, Brasken, Agrale e entidades como Anfavea (que reúne as montadoras de veículos) e Abimaq (associação de fabricantes de máquinas industriais).

 
 
O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, e o ministro boliviano de Hidrocarbonetos, Carlos Villegas, em reunião em La Paz em 6 de novembro de 2007 Gás da Bolívia
Depois do mercado interno, prioridade é o Brasil, diz ministro.
 
 
Petrobras Energia
Brasil e Bolívia vão assinar novo acordo energético.
 
 
Petrobras Energia
Bolívia não tem gás para suprir demanda interna.
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade