BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 31 de janeiro, 2008 - 10h25 GMT (08h25 Brasília)
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
Colunista britânico defende 'Plano Marshall' para salvar a Amazônia
 
Amazônia
Desmatamento voltou a crescer nos últimos meses de 2007
Os países ricos deveriam criar um fundo nos moldes do Plano Marshall para ajudar a preservar as florestas tropicais do mundo, segundo um artigo do colunista Johann Hari publicado nesta quinta-feira pelo diário britânico The Independent.

Para Hari, o desmatamento das florestas tropicais – e da Amazônia, em particular – está sendo causado pelas necessidades de consumo dos países ricos.

Ele diz que seria "reconfortante" jogar a culpa pela falta de competência na proteção das florestas sobre os ombros dos países que as administram, mas que, na verdade, os culpados seriam os consumidores nos países ricos.

“A destruição da Amazônia está sendo atualmente promovida e impulsionada por mim e por você, através de nossas escolhas como consumidores e do dinheiro de nossos impostos,” diz Hari.

O colunista afirma que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi bastante franco ao apresentar as opções: ou os países ricos incentivam financeiramente os países em desenvolvimento a preservar suas florestas, ou eles vão continuar a explorar as florestas, antes que o aquecimento global e a exploração ilegal acabem com elas em uma geração.

“Ele está certo. Em defesa própria, os países desenvolvidos precisam criar um fundo – ambicioso como o Plano Marshall (plano americano de reconstrução da Europa aliada após a Segunda Guerra) – para preservar as florestas tropicais que ainda restam e assim evitar a desestabilização drástica de nosso clima.”

Bélgica queimada

Segundo o colunista, o aumento do desmatamento da Amazônia, "principal notícia do ano", passou "despercebida" pelos noticiários britânicos.

Mas ele lembra que uma área do tamanho da Bélgica, que levou milhares de anos para evoluir, foi destruída apenas no ano passado. “Cerca de 20% da floresta já foram para o lixo e outros 40% devem ser destruídos ainda durante a minha vida. Isso está acontecendo com todas as florestas tropicais do mundo.”

Segundo o artigo, o desmatamento se dá, principalmente, para abrir áreas para a plantação de soja, que é exportada para alimentar o gado dos Estados Unidos e Europa.

“O desmatamento também é motivado por uma série de outras necessidades do mundo rico. Atualmente não há nenhuma restrição legal na Grã-Bretanha ou nos Estados Unidos à venda de madeira explorada ilegalmente na Amazônia. A mania dos biocombustíveis também está (ironicamente) levando a queimadas na floresta para abrir caminho para plantações de cana-de-açúcar.”

O colunista vai mais longe e afirma que o governo britânico está ajudando na destruição da floresta Amazônica por ser "um dos principais financiadores do Banco Mundial".

Hari cita informações vazadas de uma investigação interna do banco, em que a instituição supostamente admite ter "encorajado multinacionais a entrar na floresta e causar danos irreversíveis".

Um ex-funcionário de alto escalão do Banco Mundial citado na matéria, Robert Goodland, diz que esse comportamento não era visto como anomalia dentro do banco, visto que o foco da instituição era o de "ajudar empresas multinacionais a extrair petróleo, gás e outros recursos naturais de países em desenvolvimento".

Hari diz que essa situação “deixa o governo britânico em uma situação bizarra. Com uma mão, ele paga os governos da Guiana e do Congo para preservarem suas florestas, com a outra, ele dá dinheiro para que o Banco Mundial peça a países que façam exatamente o oposto.”

Ele sugere que o governo britânico deixe de repassar fundos para o Banco Mundial até que a instituição transforme radicalmente sua política ambiental.

O colunista também sugere ações simples aos leitores para ajudar no combate à destruição da Amazônia: “Há algumas escolhas pessoais fáceis, diminuir ou parar o consumo de carne, examinar a origem da madeira que você compra e não usar biocombustível.”

 
 
Rio Madeira
Especial da BBC Brasil investiga o impacto das obras.
 
 
Amazônia
Floresta amazônica vive 'sangria', diz jornal espanhol.
 
 
Florestas ameaçadas Meio Ambiente
Reflorestamento 'não recupera diversidade amazônica'.
 
 
Índios brasileiros fotografados por Sue Cunningham Xingu
Mostra em Londres celebra cultura indígena; veja.
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade