BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 07 de maio, 2008 - 12h37 GMT (09h37 Brasília)
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
China e Japão assinam acordo histórico
 

 
 
Líderes tiveram encontro histórico em Tóquio
Há dez anos um presidente chinês não viajava ao vizinho Japão
A China e o Japão assinaram nesta quarta-feira em Tóquio um acordo histórico para estabelecer um "novo ponto de começo" da relação diplomática entre os dois países.

O acordo, um mapa para o fortalecimento dos laços bilaterais, prevê pelo menos um encontro anual entre os líderes de ambos os lados.

O entendimento ocorre após anos de turbulência na relação da China com o Japão.

Entre 2001 e 2006 Pequim suspendeu o diálogo diplomático de alto nível para protestar contra a atitude do então primeiro-ministro Junichiro Koizumi, que visitou o santuário de Yazukuni.

O santuário homenageia militares do Exército japonês que participaram da violenta ocupação da China durante a Segunda Guerra Mundial.

Acordo

O documento é o quarto desse tipo assinado desde 1972 e foi anunciado no primeiro dia da viagem oficial que o presidente chinês Hu Jintao faz ao pais vizinho.

A visita de cinco dias está sendo considerada um marco na retomada da amizade entre os dois paises - há dez anos um presidente chinês não visitava o Japão.

"As duas nações concordam que Japão e China compartilham grande responsabilidade para a paz mundial e o desenvolvimento no século 21", afirma a declaração conjunta divulgada nesta quarta-feira.

"Lideres dos dois Estados vão desenvolver meios para intercâmbios regulares, a princípio com um líder visitando o outro a cada ano", consta no texto.

Além de assinarem o acordo, os dois líderes asiáticos também discutiram assuntos delicados, como a questão do Tibete e a disputa pelos campos de gás no Mar da China Oriental.

Tibete

O primeiro-ministro japonês, Yasuo Fukuda, disse que "dá alto valor" à decisão do presidente Hu Jintao de conduzir conversas com representantes do líder espiritual budista tibetano Dalai Lama, para aliviar a tensão sobre a região autônoma localizada ao pé do Himalaia.

Hu Jintao por sua vez afirmou que o Dalai Lama precisa parar de "agir para separar" a China e "incitar atos de violência".

A liderança chinesa já acusou anteriormente o Dalai Lama de ter intenções separatistas e de ter orquestrado os protestos que eclodiram em meados de março.

O líder espiritual nega que esteja em busca de independência para o Tibete.

Gás

Fukuda disse que Pequim e Tóquio vão resolver o "mais breve possível" a disputa territorial que têm sobre campos de gás localizados nas profundezas do Mar da China Oriental.

O presidente chinês Hu Jintao reforçou a promessa de solução ao afirmar que os países estão "começando a ver o grande contexto, para resolver essa questão" e que ambos conduziram "discussões detalhadas e se fez progresso".

Mas apesar das afirmativas, o comunicado conjunto contendo as intenções de ambos os lados não mencionou nenhum acordo imediato sobre a delimitação e distribuição dos campos de gás entre China e Japão.

Os gigantes asiáticos são grandes importadores de energia e o acesso aos recursos é uma questão estratégica e delicada.

Cooperação econômica

Do ponto de vista pragmático, Tóquio e Pequim têm grande interesse em melhorar o relacionamento para fortalecer ainda mais os laços comerciais.

A China deseja atrair investimento do Japão na área de pesquisa e desenvolvimento, enquanto o Japão espera vender mais aos chineses, tendo em vista a queda no consumo na economia norte-americana.

Os chineses já são os principais parceiros comerciais do Japão, à frente dos Estados Unidos. No ano passado as trocas aumentaram 12%, totalizando US$236,6 bilhões.

 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade