BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 18 de julho, 2008 - 09h56 GMT (06h56 Brasília)
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
Bento 16 pede união religiosa contra o terrorismo
 
Bento 16 e Sheikh Shardy, que representa os muçulmanos na Austrália. Foto: AP /William West,POOL
Bento 16 se reuniu com líderes de outras religiões
O papa Bento 16 pediu a união de todas as religiões contra o terrorismo e pela resolução pacífica dos conflitos no mundo durante um discurso nesta sexta-feira em Sydney, na Austrália.

A declaração foi feito em uma reunião com líderes de outras religiões, como a judaica, a hindu, islâmica e budista, como parte dos eventos que marcam o Dia Mundial da Juventude Católica.

Segundo o pontífice, "a fé em Deus é motivo de união e não de divisão ou ódio".

"Em um mundo ameaçado por formas de violência sinistras e indiscriminadas, a união das vozes dos povos religiosos encoraja as comunidades a resolver os conflitos por meios pacíficos e com respeito à dignidade humana", afirmou Bento 16.

O papa afirmou ainda que a Igreja Católica estaria preparada para aprender com as outras religiões.

"A Igreja busca por oportunidades para ouvir a experiência espiritual de outras religiões", disse.

Escândalo

Antes do encontro, Bento 16 se reuniu com líderes de outras denominações cristãs e pediu para que seus representantes lutassem pela união dentro da fé cristã.

"Acho que vocês concordam que o movimento ecumênico atingiu uma conjuntura crítica", disse o papa.

Depois dos dois encontros, foram realizadas encenações públicas dos últimos dias de Cristo em diversos pontos da cidade.

Apesar do tom conciliador do papa durante a visita à Austrália, Bento 16 ainda não se desculpou publicamente, como era esperado, pelas vítimas dos abusos sexuais dentro da Igreja Católica.

De acordo com o correspondente da BBC em Sydney, Nick Bryant, somente na Austrália, 107 padres foram condenados por abuso sexual de crianças e outros membros da Igreja.

Visita

As duas reuniões com líderes religiosos marcaram o segundo dia da visita do papa ao país, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, um dos mais importantes eventos dirigido aos jovens organizado pela Igreja Católica.

O papa foi recebido por uma multidão de cerca de 200 mil peregrinos na sua chegada a Sydney, na quinta-feira. Eles estão reunidos para o evento, que deve durar seis dias.

Em um discurso aos jovens na sua chegada, Bento 16 criticou a cultura popular e o consumo.

Além disso, o pontífice pediu para que as futuras gerações protejam ainda mais o meio ambiente já que, segundo ele, os recursos naturais estariam sendo dissipados.

A visita de Bento 16 encerra no domingo, quando o papa irá fazer uma missa a céu aberto no Hipódromo de Randwick – evento que deve atrair milhares de peregrinos.

 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade