Resposta da Noruega a ataques se dará com mais abertura, diz premiê

O primeiro-ministro da Noruega, Jens Stoltenberg, afirmou nesta quarta-feira que a resposta do seu país para os ataques realizados na última sexta-feira será dada por meio de "mais democracia, mais abertura e mais participação política".

Em entrevista coletiva, o premiê disse ainda que o seu país "não será nem intimidado, nem ameaçado" pelos atentados, que deixaram pelo menos 76 mortos.

O autor confesso dos atentados, Anders Behring Breivik, 32 anos, se descreve como um "nacionalista" e publicou um manifesto com ideias de extrema-direita, criticando a miscigenação, o multiculturalismo e a abertura da Noruega aos islâmicos.

Stoltenberg disse a jornalistas que é "completamente legal e legítimo" que pessoas tenham ideias de extrema-direita. "O que não é legítimo é tentar implementar essas visões por meio da violência", afirmou o primeiro-ministro. "Inaceitáveis não são as opiniões, mas sim os meios."

Segundo o premiê, o número final de vítimas dos ataques ainda é desconhecido. Ele disse que a avaliação se o país vai adotar leis restringindo o uso de armas ficará para um segundo momento, assim como a análise se a polícia do país está bem equipada para enfrentar eventos como o da última sexta-feira.