Sobreviventes de ataque na Noruega voltam ao local do massacre

Centenas de sobreviventes do massacre ocorrido na Noruega em 22 de julho retornaram neste sábado à ilha de Utoyea, onde 69 pessoas foram mortas.

Em sua maioria estudantes, eles deixaram flores e acenderam velas em locais onde seus colegas foram baleados pelo norueguês Anders Breivik.

Na véspera, parentes dos jovens assassinados também visitaram à ilha. Segundo psicólogos, o objetivo da visitar era ajudar no processo de luto, à medida que conhecer o local pode tornar a morte do filho mais real.

No domingo, uma cerimônia nacional para homenagear as vítimas será realizada na capital Oslo.

Breivik está preso em uma solitária e aguarda julgamento. Ele confessou a responsabilidade pelas 69 mortes em Utoeya e por outras oito durante um bombardeio em Oslo, também no dia 22. Mas ele negou culpa criminal.

Seu advogado afirma que o atirador acredita que o massacre era necessário para salvar a Noruega e a Europa da imigração muçulmana.