Promotoria de Nova York pede fim de processo contra Strauss-Kahn

A Promotoria de Nova York pediu formalmente nesta segunda-feira a extinção do processo contra o ex-diretor-gerente do FMI, o francês Dominique Strauss-Kahn, acusado de crimes sexuais.

Segundo o jornal The New York Times, promotores do escritório do procurador Cyrus R. Vance Jr, de Manhattan, apresentaram à Justiça documentos pedindo que todas as acusações sejam arquivadas. Acredita-se que até terça-feira a Justiça decidirá se acata ou não o pedido.

O caso – baseado nas acusações da camareira Nafissatou Diallo – vinha perdendo forças nas últimas semanas, em meio a questionamentos sobre a credibilidade e os motivos da acusadora.

Strauss-Kahn foi detido em maio, acusado de ter agredido sexualmente a camareira em um hotel de Nova York. Ele nega as acusações.

Se o caso for arquivado, Strauss-Kahn será libertado e poderá voltar à França – mas ainda enfrentará um processo civil aberto por Diallo.

A ação da Promotoria foi criticada pelo advogado de Diallo, Kenneth Thompson. “O procurador negou o direito de uma mulher obter justiça em um caso de estupro”, disse. “Ele não só virou as costas a essa vítima inocente, mas também a provas forenses, médicas e físicas.”

Os advogados de Strauss-Kahn não fizeram comentários até o momento.