Social-democrata vira primeira mulher a governar Dinamarca

A Dinamarca elegeu pela primeira vez na sua história uma mulher para o cargo de primeira-ministra: a social-democrata Helle Thorning-Schmidt, de centro-esquerda.

Durante a campanha, Thorning-Schmidt defendeu o aumento dos impostos e do gasto público. A economia dominou a agenda eleitoral, em meio à maior crise vivida pelo país desde o fim da 2ª Guerra Mundial.

Além disso, a candidata prometeu reverter rigorosas leis de imigração aprovadas pelo governo anterior.

A eleição encerra uma década de governo do chamado "bloco azul", conservador, liderado pelo atual premiê Lars Lokke Rasmussen.

A Dinamarca é parte da União Europeia, mas não adota a moeda comum, o euro.