Conselho de Segurança deve priorizar diplomacia, diz Patriota

O ministro de Relações Exteriores, Antonio Patriota, afirmou nesta quinta-feira em reunião do Conselho de Segurança da ONU, em Nova York, que o órgão deve priorizar a diplomacia na promoção da paz, em detrimento de medidas coercitivas e intervenções militares.

“Episódios recentes nos mostraram os limites da ação militar como um meio de promover estabilidade, assim como a impropriedade de usar a força preventivamente”, disse Patriota.

Ele também defendeu uma maior participação das mulheres nas instâncias internacionais que tratam da segurança.

“Infelizmente, as mulheres ainda estão subrepresentadas nos diferentes palcos e atividades da agenda diplomática para a paz”, afirmou o ministro, ecoando o discurso da presidente Dilma Rousseff na Assembleia Geral da ONU na quarta-feira, quando ela pediu maior participação feminina nos processos políticos mundiais.