Consumo excessivo de álcool levou a morte 'acidental' de Amy Winehouse, diz investigação

A investigação da polícia britânica sobre a morte de Amy Winehouse determinou que a cantora morreu por acidente, como resultado de consumo excessivo de álcool.

O veredito de "morte acidental" foi dado depois que o inquérito descobriu que a cantora estava mais de cinco vezes acima do limite de teor alcoólico permitido para dirigir quando morreu.

Segundo o inquérito, foram encontradas três garrafas vazias de vodca, duas grandes e uma pequena, em sua casa no bairro de Camden, no norte de Londres.

A cantora, de 27 anos, foi encontrada morta em sua casa no dia 23 de julho. Uma investigação chegou a ser aberta mas foi adiada.

Amy tinha um longo histórico de vício em álcool e drogas. No entanto, a autópsia determinou que seu corpo não tinha nenhuma "substância ilegal" no momento de sua morte.

A investigação sobre morte de Amy Winehouse foi retomada nesta quarta-feira para determinar as causas e circunstâncias exatas da morte da cantora.

Na segunda-feira, a polícia metropolitana de Londres admitiu que um documento sobre a morte da cantora que deveria ter sido encaminhado para a família da cantora foi enviado para o endereço errado, mas já retornou às mãos da polícia.