Explosão em base militar no Irã mata 17

Fumaça de explosão vista de Teerã Direito de imagem na
Image caption Explosão pôde ser ouvida no centro de Teerã, a 40 quilômetros de distância

Dezessete soldados foram mortos em uma explosão neste sábado numa base militar perto de Teerã, capital do Irã, segundo o governo do país.

A explosão ocorreu quando armamentos eram transportados dentro de um depósito da Guarda Revolucionária, segundo afirmou um porta-voz da unidade de elite à TV estatal.

Janelas de edifícios próximos se romperam, e a explosão pôde ser ouvida no centro de Teerã, a 40 quilômetros do local.

Duas horas após a explosão, um incêndio ainda consumia o depósito e a região estava paralisada com congestionanentos,

As autoridades iranianas chegaram a divulgar que 27 pessoas teriam morrido na explosão, mas depois revisaram o número para baixo.

Ao menos 12 pessoas feridas foram levadas para um hospital próximo, algumas delas em estado grave.

Um morador local, identificado como Kaveer, afirmou à BBC que o som da explosão foi "ensurdecedor". "Ficamos meio chocados. Eu só consegui correr para fora da casa para ver o que tinha acontecido", disse.

Tensões

A Guarda Revolucionária, tropa de elite iraniana, foi estabelecida pouco após a revolução iraniana de 1979 para defender o regime islâmico do país.

Desde então, se tornou uma importante força militar, política e econômica no Irã.

A Guarda Revolucionária é alvo de sanções da ONU com o objetivo de pressionar o país a suspender o enriquecimento de urânio.

No passado, a guarda já enfrentou outras explosões inexplicadas. Em outubro de 2010, 18 pessoas morreram em uma explosão em uma base da Guarda Revolucionária no noroeste do país.

A explosão deste sábado ocorre em um momento de tensões elevadas sobre as ambições nucleares do Irã.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), da ONU, divulgou na terça-feira um relatório que elevou os temores de que o programa nuclear iraniano tem objetivo militar, para desenvolver armamentos atômicos.

Também tem havido especulações na mídia israelense de que o primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, estaria considerando ordenar bombardeios a instalações nucleares iranianas, na esperança de interromper ou acabar com o programa do país.

O Irã afirma que seu programa nuclear tem fins pacíficos, para a geração de energia.