ONU condena uso da força contra manifestantes no Egito

A alta comissária para direitos humanos da ONU, Navi Pillay, condenou nesta quarta-feira a atuação das forças de segurança egípcia contra os manifestantes que protestam na praça Tahrir, no centro do Cairo.

"Eu peço às autoridades egípcias que encerrem o uso claramente excessivo de força contra os manifestantes na praça Tahrir e em outros lugares do país, incluindo o aparente uso indevido de gás lacrimogêneo, balas de borracha e munição genuína", disse Pillay, em um comunicado.

A comissária pediu ainda um inquérito independente a respeito da morte de pelo menos 30 pessoas desde domingo.

Os manifestantes, críticos do conselho militar que governa o Egito desde a queda do presidente Hosni Mubarak, em fevereiro, estão reunidos na praça Tahrir para exigir uma transição mais rápida do poder para os civis.

Nesta quarta-feira, as batalhas campais no centro do Cairo já chegam ao seu quinto dia.