Diplomacia dos Brics lança comunicado conjunto sobre a Primavera Árabe

Os países integrantes dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) divulgaram nesta sexta-feira um comunicado conjunto sobre a situação no Oriente Médio e no norte da África.

O texto, assinado pelos vice-ministros das Relações Exteriores, inclusive o secretário-geral do Itamaraty, Ruy Nogueira, atesta a "legitimidade das aspirações dos povos da região (Oriente Médio e norte da África) por direitos políticos e sociais".

A região é palco de uma série de insurreições populares que já resultaram na queda de regimes autoritários na Tunísia, no Egito, na Líbia e no Iêmen.

Especificamente sobre a Síria, o grupo voltou a defender “negociações pacíficas urgentes com a participação de todas as partes”.

Dentre os Brics, Rússia e China são contrárias a sanções mais pesadas contra a Síria. A África do Sul também se mostrou reticente, no passado, no caso da Líbia.

Os Brics disseram ainda que a Primavera Árabe não deve ofuscar outros conflitos de longa data como a Questão Palestina, que também depende de resolução.