Médico pega quatro anos de prisão pela morte de Michael Jackson

O médico americano Conrad Murray foi sentenciado nesta terça-feira a quatro anos de prisão pela morte do cantor Michael Jackson.

Murray, que recebeu sua sentença em um tribunal de Los Angeles (Califórnia), havia sido condenado no início de novembro por homicídio culposo.

O astro da música pop morreu em 25 de junho de 2009, em sua casa em Los Angeles, vítima de uma overdose de anestésicos.

Durante as seis semanas de julgamento, foram ouvidas 49 testemunhas e mais de 300 evidências foram apresentadas.

O médico terá de cumprir a pena sem direito a liberdade condicional.