Repressão das forças de segurança matam 12 na Síria, dizem ativistas

Ativistas afirmam que pelo menos 12 pessoas foram mortas pelas forças de segurança da Síria neste sábado.

Segundos as testemunhas, quatro pessoas morreram na Província de Idlib, no noroeste do país, onde as forças do governo dispararam tiros e bombas de gás lacrimogêneo contra a multidão que participava do funeral de uma criança, que teria sido morta em protestos contra o regime na sexta-feira.

O governo da França afirmou que o povo sírio deve ser salvo, e expressou preocupação com os ataques das forças de segurança contra a cidade de Homs, um dos maiores centros de oposição ao presidente sírio, Bashar Al Assad.

Assad é alvo de manifestações desde janeiro. Desde então, segundo a ONU e entidades de defesa dos direitos humanos, a repressão contra os protestos já deixou mais de 3,5 mil mortos.