Premiê iraquiano xiita intensifica pressão sobre facção sunita

Em um discurso ao vivo na TV, o premiê iraquiano, Nuri al-Maliki, pediu às autoridades curdas do norte do país que entreguem o vice-presidente Tareq al-Hashimi, acusado de elos com o extremismo.

O mandado de prisão por Hashimi - considerado o muçulmano sunita mais influente do país e que nega as acusações de terrorismo - evidencia as tensões entre o xiita Maliki e as lideranças sunitas do Iraque, que acusam o premiê de centralização de poder.

Maliki disse que vai demitir ministros pertencentes ao maior grupo político sunita do país se estes não levantarem um boicote promovido contra o Parlamento.

Após pedidos do governo dos EUA, Maliki também convidou todas as facções políticas iraquianas para dialogar na tentativa de resolver a crise política.