Exército do Sudão diz ter matado principal líder rebelde de Darfur

O governo do Sudão disse ter matado Khail Ibrahim, o líder do grupo rebelde, Justiça e Igualdade, o principal movimento militante que atuava na conturbada região de Darfur.

A região foi palco de violentos conflitos étnicos entre o governo e militantes, que resultaram na morte de ao menos 300 mil pessoas desde 2003, segundo estimativas da ONU.

Ibrahim havia regressado de seu exílio na Líbia após a deposição do coronel Muamar Khadáfi, no início deste ano.

O governo sudanês acusava Ibrahim e o Justiça e Igualdade de lutar pela permanência de Khadáfi no poder, que lhes dava ajuda financeira e militar.

Ibrahim foi o fundador do grupo fortemente armado e inspirado em inspirado em ideais islâmicos.

O Justiça e Liberdade esteve por trás de uma série de ataques tendo como alvo o governo do Sudão, entre eles uma incursão contra a capital do país, Cartum, em 2008, durante a qual ao menos 220 pessoas foram mortas.