Húngaros protestam contra constituição

Milhares de pessoas participaram de um protesto na capital da Hungria, Budapeste, contra a nova constituição, um dia depois que ela entrou em vigor.

Os manifestantes dizem que a carta magna, elaborada pelo governo de centro-direita, ameaça acabar com a independência de órgãos públicos, incluindo tribunais e o banco central húngaro.

A nova lei provocou críticas da União Europeia e da secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

Diversos partidos de centro-esquerda da oposição se juntaram aos protestos, que aconteceram perto de um evento de gala organizado pelo governo para celebrar a constituição.

O partido governista, Fidesz, conseguiu aprovar o projeto em abril, depois de conseguir dois terços do Parlamento nas eleições.

A oposição diz que a constituição ameaça a democracia, ao acabar com o sistema de controles e contrapesos desenvolvido para manter o equilíbrio no governo desde 1989, com o fim do comunismo.

A União Europeia e os Estados Unidos também se posicionaram contra a doção das novas normas.

A disputa gerou dúvidas sobre um novo acordo financeiro entre a Europa e o Fundo Monetário Internacional, tido como vital para a confiança dos mercados na Europa central.