Iêmem prepara lei de imunidade para presidente de saída

O gabinete do Iêmen aprovou neste domingo um rascunho de lei que garante imunidade ao presidente Ali Abdullah Saleh, como parte de um acordo de transferência de poder.

A lei, que ainda depende da aprovação do Parlamento iemenita, anistiaria Saleh e seus assessores, evitando que eles fossem eventualmente questionados juridicamente por atos cometidos em seus 33 anos no poder.

Em meio à Primavera Árabe e pressionado por manifestantes antigoverno, Saleh concordou em deixar o poder do Iêmen até fevereiro, mas exigiu imunidade para ele e sua família.

Na última sexta-feira, a alta comissária da ONU para Direitos Humanos, Navi Pillay, criticou a lei, dizendo que eventuais abusos ocorridos durante a repressão iemenita aos manifestantes deveriam ser levados à Justiça. Ela alega que o acordo fere a lei internacional.