Senado francês aprova lei que criminaliza a negação do genocídio armênio

O Senado da França aprovou nesta segunda-feira uma polêmica lei que torna crime a negação do genocídio armênio, ocorrido durante a Primeira Guerra Mundial, no antigo Império Turco-otomano.

Se a lei não sofrer veto presidencial, quem negar o massacre poderá ser punido com prisão.

A nova lei estremece as relações entre França e Turquia, que admite a morte de mais de um milhão de armênios na época, mas nega que tenha ocorrido um massacre promovido pelo Estado.

O projeto de lei já foi aprovado pelos deputados.

A Turquia suspendeu, após votação na Câmara francesa, os convênios militares e econômicos com Paris, em protesto contra a nova lei.