Junta Militar suspende parcialmente estado de emergência no Egito

A Junta Militar que governa o Egito desde a queda de Hosni Mubarak, em fevereiro do ano passado, suspendeu nesta terça-feira parte do estado de emergência que vigora no país há 45 anos.

A partir desta quarta-feira, parte das restrições impostas aos civis pelo estado de emergência deixará de vigorar.

O anúncio foi feito pelo marechal Mohamed Hussein Tastawi, em um discurso transmitido pela televisão.

Tastawi disse, no entanto, que a lei marcial continuará a ser aplicada às "gangues", sem dar maiores especificações.

As leis que regulam o estado de emergência vigoraram no país há 45 anos, em parte para suprimir o poder de organização da Irmandade Muçulmana.

O grupo político, que esteve na clandestinidade durante os anos Mubarak, conseguiu a maioria das cadeiras do Parlamento nas primeiras eleições após a queda do regime.