EUA dizem que queda de Assad é inevitável, em dia de 40 mortes na Síria

O governo dos Estados Unidos disse nesta segunda-feira que o a renúncia do presidente da Síria, Bashar al Assad, é inevitável, diante da “brutalidade do regime”.

A nota foi divulgada no dia em que ativistas denunciaram a morte de pelo menos 40 pessoas, em confrontos de opositores com tropas do Exército sírio em Damasco, Homs e Hama.

Nesta terça-feira, o Conselho de Segurança discute a adoção de uma resolução contra Assad. A Rússia, membro permanente do conselho, já disse, no entanto, que irá vetar a proposta.

Segundo relatos vindo da Síria, o regime voltou a controlar áreas de Damasco, que haviam sido tomadas pelos opositores.

Aumenta também, segundo ativistas, as deserções no Exército sírio, com soldados se negando a obedecer as ordens para reprimir os protestos populares.