Paquistão rejeita relatório da Otan sobre ligações do país com o Talebã

A ministra de Relações Exteriores do Paquistão Hina Rabbani Khar afirmou nesta quarta-feira que seu país não tem nenhuma agenda secreta no Afeganistão, em resposta ao vazamento de um relatório secreto da Otan sobre ligações entre Islamabad e o Talebã afegão.

Falando a repórteres em Cabul ao lado do ministro de Relações Exteriores afegão Zalmai Rasoul, Khar disse que as afirmações do relatório eram "vinho velho em uma garrafa ainda mais velha".

O documento diz que o Talebã recebe ajuda dos serviços de segurança do Paquistão e alega que os insurgentes continuam desafiado o governo local e tem amplo apoio dos afegãos.

O correspondente da BBC em Cabul, Quentin Sommerville, diz que o relatório é uma leitura difícil para as forças internacionais e para o governo do Afeganistão.

Ele foi divulgado após o Talebã ter negado que planejava manter conversas preliminares com o governo afegão na Arábia Saudita.

"Não há verdade nos relatos de que a delegação do Emirado Islâmico (Talebã) encontraria representantes do governo Karzai na Arábia Saudita em um futuro próximo", disse o porta-voz do grupo, Zabihullah Mujahid, em um comunicado.