Justiça Militar decreta prisão de 11 grevistas da polícia do Rio

A Justiça Militar pediu a prisão de 11 líderes da greve policial iniciada nesta sexta-feira no Rio de Janeiro, informa a Agência Brasil.

Ao mesmo tempo, o porta-voz da Polícia Militar (PM), coronel Frederico Caldas, disse que a greve não interrompeu os serviços da polícia na cidade, que o Bope (Batalhão de Choque) vai reforçar a segurança local e que os policiais das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) não aderiram à paralisação.

Em entrevista à GloboNews, Caldas disse que não será necessária a presença do Exército no Estado, ao contrário do que ocorreu durante a greve policial na Bahia.

Na última quinta-feira, a Assembleia Legislativa do Rio aprovou aumento de 39% nos salários das polícias Militar e Civil, do Corpo de Bombeiros e de agentes penitenciários até fevereiro de 2013, mas o texto final pode sofrer alterações.

Os grevistas exigem piso salarial único de R$ 3.500.