Presidente afegão critica 'falta de cooperação' dos EUA após massacre

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, acusou os Estados Unidos de não estarem cooperando com as investigações em torno do massacre perpetrado por um soldado americano no último domingo. Ele invadiu casas de civis em um vilarejo e matou 16 pessoas, entre elas nove crianças e três mulheres.

O líder falou após encontrar-se com famílias das vítimas. Alguns disseram que mais de um soldado esteve envolvido no massacre.

Até o momento o último desdobramento do caso foi a transferência do soldado suspeito para o Kuwait, de onde deve ser repatriado aos EUA onde enfrentará julgamento em uma corte militar.

Ainda na quinta-feira, Karzai pediu que as tropas dos Estados Unidos deixassem as áreas rurais do país e retornassem às suas bases. O Talebã também se pronunciou, suspendendo todas as negociações com Washington e prometeu vingar as mortes.

Também na quinta-feira, Karzai reuniu-se com o secretário da Defesa americano, Leon Panetta, quando alertou que as tropas afegãs devem tomar o controle da segurança nacional já em 2013.

Pouco após a chegada de Panetta ao país, em uma visita surpresa, um civil afegão invadiu uma das pistas na base aérea de Camp Bastion, onde o avião que trouxe o chefe do Pentágono país estava estacionado. Após bater contra uma barreira, o carro explodiu.

O motorista teria morrido horas após o acidente. Entre os americanos não houve feridos.