Ex-diretor do FMI é acusado de participar de rede de prostituição na França

O ex-diretor-gerente do FMI Dominique Strauss-Kahn foi acusado nesta segunda-feira de participação em uma suposta rede de prostituição na França.

Uma investigação formal foi aberta para averiguar a participação de Strauss-Kahn no esquema.

Após ser questionado na cidade de Lille, Strauss-Kahn foi solto depois de pagar uma fiança de 100 mil euros.

No ano passado, Strauss-Kahn renunciou ao comando do FMI depois de ter sido acusado de assédio sexual por uma camareira em um hotel em Nova York. Ele negou as acusações, e as denúncias foram retiradas pela camareira posteriormente.