Enviado da ONU chega à China para discutir crise na Síria

O enviado especial da ONU e da Liga Árabe, Kofi Annan, desembarcou nesta terça-feira em Pequim, onde tentará angariar apoio do governo chinês a iniciativas para pôr fim à violência na Síria.

Em um discurso em Moscou, pouco antes de partir para a China, Annan disse que a crise na Síria não pode se arrastar por tempo indefinido. No entanto, ele disse que não há motivos para se estabelecer um prazo arbitrário para resolver o conflito.

Annan disse que tanto a oposição quanto o governo na Síria precisam aceitar que reformas são necessárias. A Rússia ofereceu o seu apoio total à missão de Annan. Enquanto isso, em Istambul, grupos de oposição sírios estão reunidos para tentar se unir contra o regime do presidente Bashar Al-Assad.