Autores de ataque homofóbico no Chile são acusados de assassinato

Promotores chilenos disseram nesta quarta-feira que pretendem acusar de assassinato os quatro suspeitos de ter atacado brutalmente um jovem gay, provocando sua morte.

Daniel Zamudio, de 24 anos, foi atacado por supostos neonazistas em um parque em Santiago na madrugada de 3 de março. No ataque, os agressores marcaram o corpo de Zamudio com suásticas.

Após ficar 25 dias hospitalizado, o jovem morreu na noite de terça-feira, em razão dos ferimentos.

A morte do jovem provocou comoção no Chile. Centenas de pessoas realizaram uma vigília em frente ao hospital onde Zamudio estava internado.

O ministro do Interior, Rodrigo Hinzpeter, disse que o governo vai trabalhar sem descanso para aprovar o mais rápido possível uma lei anti-discriminação que está parada no Congresso.

As autoridades chilenas são acusadas por grupos de defesa dos direitos dos homossexuais de não conseguir enfrentar o problema da violência homofóbica no país.