Aung San Suu Kyi afirma que eleições em Mianmar terão irregularidades

A líder oposicionista Aung San Suu Kyi disse que as eleições parlamentares de Mianmar, que devem ocorrer no domingo, não podem ser consideradas totalmente livres e justas pois existem irregularidades no país.

Aung San Suu Kyi disse a jornalistas que nomes de pessoas mortas foram usadas em listas de eleitores e candidatos da Liga Nacional pela Democracia, partido do qual ela é afiliada, foram intimidados.

No entanto, a política acrescentou que, mesmo assim, vale a pena fazer parte do processo político.

A votação para escolher 45 membros do Parlamento são vistas como um teste importante do compromisso do governo de Mianmar com a reforma democrática no país.

Aung San Suu Kyi foi libertada em 2011 depois de ter passado mais de uma década em prisão domiciliar