Polícia chinesa 'acobertou morte de britânico'

A polícia chinesa acobertou, por meses, o assassinato de um executivo britânico, no centro de um dos maiores escândalos políticos na China nos últimos anos, segundo um jornalista da mídia estatal chinesa.

Este mês, a China disse suspeitar que Neil Heywood não havia morrido por conta do consumo excessivo de bebidas alcoólicas, e sim que ele foi assassinado em Chongqing, em novembro.

A esposa do então líder do Partido Comunista na cidade, Bo Xilai, foi citada como a principal suspeita do crime.

O jornalista Han Pingzao, do diário People's Daily, disse à BBC, no entanto, que a polícia chinesa sabia desde o início que se tratava de um assassinato e que três investigadores pediram demissão ao descobrir a ligação com a família de Bo.

Desde o episódio, Bo Xilai foi demitido como líder do Partido Comunista em Chongqing e suspenso de outras funções importantes dentro do partido.