Último dos fundadores do movimento Sandinista morre na Nicarágua

O último dos fundadores do movimento de esquerda Sandinista da Nicarágua faleceu nesta terça-feira, aos 81 anos.

O ex-guerrilheiro Tomas Borge ajudou a criar a Frente de Liberação Nacional Sandinista em 1961 e foi ministro do Interior da Nicarágua no governo de Daniel Ortega, após a revolução de 1979, que tirou do poder o ditador Anastasio Somoza.

No entanto, o presidente americano da época, Ronald Reagan, via os revolucionários como uma ameaça e forneceu apoio ao partido de direita Contras na guerra civil do país.

Cerca de 30 mil pessoas morreram durante o conflito, que destruiu a economia do país.

Durante seu mandato, Borge foi acusado de violações de direitos humanos e de impor censura à mídia.

Os Sandinistas realizaram um programa controverso de redistribuição de renda e reforma agrária. Eles foram tirados do poder nas eleições de 1990.

No início do mês, Borge foi internado e se submeteu a uma cirurgia para tratar uma infecção nos pulmões.