Investimentos estrangeiros na América Latina atingem recorde em 2011

Dólares Direito de imagem BBC World Service
Image caption Segundo estudo, Brasil foi país que mais recebeu investimentos do exterior, respondendo por US$ 66,7 bi

A América Latina e o Caribe receberam US$ 153,4 bilhões (R$ 296,2 bilhões) de investimento estrangeiro direto (IED) ou 10% dos fluxos mundiais no ano passado, valor superior ao recorde histórico de US$ 137 bilhões, registrado em 2008.

As informações constam de um relatório apresentado nesta quinta-feira pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

Comparado ao volume de ingressos de 2010, quando a região recebeu US$ 120,9 bilhões, houve alta de 26,8%.

Já em 2009, por causa da crise econômica mundial, as entradas somaram US$ 81,6 bilhões.

Brasil

Segundo o estudo, o Brasil foi o país que mais recebeu investimentos do exterior, respondendo por US$ 66,7 bilhões (ou 43,7% do total), seguido do México (19,4 bilhões de dólares), Chile (17,3 bilhões de dólares), Colômbia (13,2 bilhões de dólares), Peru (7,7 bilhões de dólares), Argentina (7,2 bilhões de dólares), Venezuela (5,3 bilhões de dólares) e Uruguai (2,5 bilhões de dólares).

Desses países, Brasil, Chile, Colômbia, Peru e Uruguai alcançaram recordes históricos.

Já entre os maiores investidores, quem lidera a lista é a União Europeia, com 40% do total aplicado na região, à frente dos Estados Unidos (18%) e Espanha (14%).

Por outro lado, aponta a pesquisa, houve um aumento das remessas de lucro pelas multinacionais às suas matrizes no exterior.

"O rendimento de IED transferido para os países de origem aumentou de 20 bilhões de dólares anuais entre 1998 e 2003 para 84 bilhões anuais entre 2008 e 2010”, afirmou Alicia Bárcena, secretária executiva da CEPAL.

Notícias relacionadas